terça-feira, 28 de abril de 2015

O que você prefere?


 O que você prefere: tentar mesmo sem saber se vai dar certo ou conviver com a dúvida de desistir sem nunca ter tentado?
 Pense bem.
 Escolheu? Ótimo, então vamos lá.
 Eu escolhi a primeira opção. Sempre parti do princípio de que as garotas quem devem esperar os garotos e jamais, de jeito nenhum tomar alguma atitude, por mínima que for pelo simples motivo de ser mais romântico, mais bonito, e diria até mais correto. Acho ridículas aquelas garotas que dão em cima (não faça isso!), mas não me entenda mal. Foi (bem) diferente. O que fazer quando alguém começa uma temporada e para no episódio três sem avisar se a série acabou, ou mesmo postar a data do próximo episódio? Pois é, eu também não sei.
 Tive muita influência de uma amiga, é verdade, mas não sinto raiva dela por isso. Agradeço-a. Precisava de um ponto final a qualquer custo. Se tem uma coisa que eu odeio se tratando de romance/pré-romance/relacionamento (vulgo qualquer-coisa-relacionada-ao-amor) são as reticências. Ô coisinha chata são esses três pontinhos, viu? Principalmente para alguém tão insegura como eu. E foi por isso que eu tomei essa atitude (que nem foi grande coisa, vai), mas só porque realmente existia uma dúvida. Não era só coisa da minha cabeça, já que em nenhum momento algum de nós disse algo como “Ô menino(a), perdi o interesse em você”, “Não te amo mais”, ou qualquer coisa parecida. Foi mais pra um sumiço, do nada, sem explicação. Só.
 Não me arrependo do que escrevi – era verdade (e ainda é). O ponto principal é saber se, independente da resposta que obtiver, é isso que você quer: a certeza/a mudança das reticências para vírgulas ou um ponto final. Eu, particularmente, prefiro dar a cara para bater do que morrer sem saber, não sei você. Pelo menos uma vez na vida não fui covarde, e não estou dizendo que você deve fazer o mesmo. Depende do que se quer, das circunstancias e da estrutura emocional de cada um, portanto quando estiver passando por alguma situação assim, se faça essa pergunta:
 Você se conhece. Acha que é forte o bastante?
 A escolha é sua. E o coração também.

 P.S.: Vou dar um exemplo. Pensa em A Culpa é das Estrelas. O Augustus falou pra Hazel que seria uma honra ter o coração partido por ela. Ele sabia os riscos, sabia que ela era uma granada e que poderia explodir a qualquer momento, mas mesmo assim aceitou suas escolhas. Só existem duas opções: ou você parte seu coração ou o mantêm vazio. Aceite suas escolhas e pare de chorar pelos cantos (desculpa, mas eu precisava falar). E se não tiver certeza, espere até ter.
 “Ah, mas dói muito”. Eu sei. Mas é uma dor suportável. Sabe uma doença? É bem parecido.

2 comentários:

  1. Amei o post e amei o blog :3, já estou seguindo, poderia seguir de volta?
    www.diversifiicar.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada :) Tbm amo o seu blog. Já estava seguindo, hahá.
      Bjss!!

      Excluir